• Clínicas Cerro

A nossa alimentação

Já ouviu dizer que somos o que comemos? Por aqui acreditamos e seguimos essa ideia!


A nossa mudança alimentar foi algo muito natural e contínuo ao longo do tempo.

Reduzimos significativamente o consumo de produtos processados e de origem animal, e aumentámos o consumo de frutas, hortícolas, leguminosas, sementes, cereais e oleaginosas.


Por aqui não somos fundamentalistas e cada um faz as suas escolhas, uns ainda consomem iogurtes ou queijo, carne ou peixe. Mas quando chega a altura de cozinhar ou ir às compras, a verdade é que a nossa preocupação não é qual a carne ou peixe que vamos escolher, mas sim quais os vegetais que vamos incluir.


Basta estarmos numa fila de supermercado, observarmos as pessoas à nossa volta e aquilo que levam no carrinho para percebermos facilmente o porquê da falta de saúde da população em geral.

A verdade é que hoje em dia ainda vivemos numa sociedade que se preocupa mais com o tratamento das doenças do que com a sua prevenção.


“O motivo pelo qual provavelmente nunca verá um anúncio de batata-doce é o mesmo pelo qual descobertas científicas acerca da capacidade que os alimentos têm de afetar a nossa saúde e longevidade talvez nunca venham a público: há pouco estímulo lucrativo.”

(Fonte: Como Não Morrer de Dr.Michael Greger)

“Por exemplo, em vez de se tentar prevenir que alguém com o colesterol elevado tenha um ataque cardíaco, por que não começar logo por ajudar essa pessoa a evitar ter o colesterol elevado?”

(Fonte: Como Não Morrer de Dr.Michael Greger)


Acredite ou não, a maioria das doenças podem ser prevenidas através da nossa alimentação. Apesar de não ser possível controlarmos a parte genética e o meio que nos envolve, a forma como nutrimos o nosso organismo tem um impacto substancial na nossa vida.


“A maioria das idas ao médico relaciona-se com doenças provocadas pelo estilo de vida, o que significa que são doenças evitáveis.”

(Fonte: Como Não Morrer de Dr.Michael Greger)


Esta mudança surgiu não só com a preocupação com a nossa saúde, pois hoje em dia está mais que provado o impacto negativo do consumo excessivo de alimentos processados e de origem animal, mas também com a crescente preocupação com o nosso ambiente e com aquilo que podemos fazer para adotarmos um estilo de vida mais sustentável.


“É consensual na comunidade científica que a dieta mais sustentável é a de base vegetal. Quem adota uma dieta de base vegetal dá prioridade ao consumo de alimentos vegetais como leguminosas, hortícolas, tubérculos, oleaginosas, sementes, cereais e fruta, mas poderá incluir na sua dieta alguns alimentos de origem animal.”

(Fonte: @catarinafpb)


Vamos fazer melhor por nós, pela nossa saúde e pelas gerações futuras, e consumir mais alimentos de origem vegetal?

Be the change you want to see in the world

(Mahatma Gandhi)

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo